sábado, 22 de maio de 2004

Hoje vi-te (Parte II)

Hoje vi-te. Desta vez encantado com a vida!
Cara lavada e sentido estético apurado. Perfumado (inconfundivelmente cheiravas a Escada), penteado e bem dormido, como quem corre sem saber se vai ter tempo para saltar e não perde um único átomo da sua calma.
Estavas até capaz de me contar uma noite da tua vida que não te lembrasses de nada que ocorreu.
De facto, igual a ti próprio. Sem qualquer pólo de interesse.
As tuas qualidades dão-me tédio e o que eu mais gosto em ti é dos teus defeitos, dos teus pecados e das tuas idiotices.
Para se gostar como eu gosto de ti é preciso dar muita atenção ao que não gosto nada, ao que eu odeio nos outros e a ti fica-te muito bem.
Hoje vi-te na moda. já não era sem tempo...
- Vou para casa, amanhã telefono-te!


Sem comentários: